Pretendemos que a formação produza efeitos nas resoluções e atuações profissionais, que contribua para o aumento efetivo de conhecimentos e, sobretudo, para o desenvolvimento integral das pessoas porque, como diz G. Gusdorf, o importante “deve ser o crescimento da pessoa e não o aumento do conhecimento – quando a pessoa cresce, cresce o auto conhecimento, cresce a necessidade e o desejo do conhecimento do outro, do mundo, do saber” (in, Professores para Quê, Ed. Morais).

Assumpta Coimbra

 

 

     

 


Atualizada em:

08/09/2017

Webmaster:

José Tavares